JARAGUÁ COMEÇA REESTRUTURAÇÃO PARA SUPERAR GRAVE CRISE FINANCEIRA

A Jaraguá Equipamentos Industriais está passando por uma fase de grande reformulação e enfrenta uma séria crise financeira em suas operações. Na semana anterior, a empresa teve que superar um pedido de falência requerida pela Gerdau Aços Longos na Sexta Vara de Sorocaba (SP). A Jaraguá também enfrenta mais de 800 protestos de inúmeros fornecedores em diversos cartórios do país.

Recentemente, o empresário Álvaro Garcia, que comprou o controle da empresa no ano 2000, assumiu a presidência da Jaraguá e demitiu quase todos os executivos que estavam à frente das operações. Há inúmeras razões para a empresa ter chegado a este ponto, mas duas delas são as mais importantes: a mudança de seu negócio principal, que é produzir equipamentos especiais, dando prioridade para obras de engenharia; e o represamento dos pagamentos dos pleitos feitos nessas obras para o cliente Petrobrás. É uma repetição do que está acontecendo em quase todo o mercado.

Com as constantes mudanças nos projetos, os pleitos tornam-se inevitáveis. Os gerentes locais aprovam essas mudanças, mas os pagamentos desses aditivos ficam represados nas diretorias responsáveis. A falta desses pagamentos acaba comprometendo a saúde financeira da empresa e, por consequência, toda a cadeia de fornecedores. Os epecistas não recebem, não pagam aos fornecedores, que os protestam, agravando ainda mais a crise. Recentemente, tivemos um exemplo clássico deste episódio com a Multitek, que teve que demitir 1.700 pessoas.

O Petronotícias procurou a Jaraguá Equipamentos e conseguiu algumas  informações através da porta-voz da empresa:

Em que obras a Jaraguá está atuando em contratos com a Petrobrás?

A Jaraguá está atuando nos seguintes projetos para a Petrobrás: RNEST – EPC dos fornos petroquímicos UDA, HDT, UGH e UCR; COMPERJ – Tancagem, interligação destes tanques e subestações; PB Distribuidora – com a fabricação e montagem de tanques. Além desses projetos, a Jaraguá está fabricando e fornecendo diversos equipamentos para plataformas e outras refinarias como a REPLAN, REVAP, REFAP E REGAP. Estamos também fabricando os módulos de remoção de CO² para as plataformas da cessão onerosa P74, P75, P76 e P77, que foram vendidos para a UOP. A Jaraguá atua em vários outros setores e temos contratos em andamento nas áreas de Papel e Celulose, Mineração, Nuclear etc.

O represamento de pagamentos por parte da Petrobrás está criando problemas de caixa para a empresa. Como está sendo a negociação?

Atualmente os pagamentos das medições mensais das obras estão seguindo o pactuado nos contratos e não registramos atrasos significativos. Contudo, durante a execução dos contratos, também incorremos em custos fora do escopo contratado, o que nos levou a desembolsar recursos extraordinários, ocasionando, assim, problemas com o fluxo do caixa. Os custos incorridos referenciados foram objetos de diversos pleitos, sendo que nesses últimos meses tivemos avanços significativos nas negociações, possibilitando, dessa forma, iniciar o saneamento no caixa da Jaraguá.

O Sr. Álvaro Garcia, depois de demitir a diretoria, pretende continuar como presidente da empresa ou está em busca de um novo executivo para o comando das operações?

O plano de reestruturação interna da Jaraguá, que teve como um dos pontos o desligamento do presidente e dos vice-presidentes, está sendo conduzido pelo Sr. Álvaro Garcia e tem como metas equalizar as finanças, cumprir com as obrigações contratadas, desenvolver e fechar novos e sustentáveis negócios, e investir em pesquisa e desenvolvimento, buscando maior competitividade.

Nessa perspectiva, o Sr. Álvaro Garcia permanecerá na presidência da empresa nesse momento de transição, que conta com a consultoria do ex-presidente, Sr. Wagner Othero, e com o empenho e a participação dos diretores executivos, não havendo uma solução de continuidade nas atividades da empresa. Certamente, está dentro do plano de reestruturação a contratação de um novo presidente e de outros executivos, desde que agreguem forças às metas definidas e estejam alinhados com a filosofia básica e com os valores da Jaraguá.

A que se deve o pedido de falência requerido pela Gerdau na 6ª Vara de Sorocaba?

Infelizmente, a falta de comunicação gerou esse desagradável episódio, que já se encontra solucionado, com o pagamento do débito e com a respectiva baixa do requerimento de falência.

Atualmente, há mais de 820 protestos de pagamentos da Jaraguá no Serasa. Como a empresa pretende solucionar as pendências?

Por força do recebimento dos pleitos, está sendo possível compor os débitos com os fornecedores, avançar nas medições das obras e gerar mais recursos. Com a compreensão da maioria dos fornecedores, que estão se mostrando parceiros, prevemos retirar esses apontamentos no prazo de 90 dias.

Deixe seu comentário

111 Comentários em "JARAGUÁ COMEÇA REESTRUTURAÇÃO PARA SUPERAR GRAVE CRISE FINANCEIRA"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
juca
Visitante

O importante nese momento difícil é, não atrasar o salario dos colaboradores, se ficar atrasando é melhor fechar as portas.

Hamilton O.Santos Jr.
Visitante

A Petrobrás deve arcar c/ sua responsabilidade e zerar todas as pendências financeiras c/ a firma; vide o caso da Lupatech de N.Odessa, c/ balanço apresentado R$500 milhões de prejuízo por culpa da PB.

ROVAIL
Visitante

Uma pena ler essa noticia de uma empresa que tem história no mercado petroquímico, hoje, mais conhecido como óleo & gás. Participei de vários empreendimentos, como engenheiro inspetor de vários clientes, inclusive diversos empreendimentos da Petrobras, e a Jaraguá sempre foi uma empresa de padrão A em seus fornecimentos, atendendo prazos e qualidade de forma exemplar.

Estarei torcendo para a Jaraguá conseguir superar esse momento de dificuldades, que na década de 80 assisti infelizmente diversas empresas atravessarem, inclusive a própria Jaraguá.

Boa sorte Sr. Álvaro Garcia e a Jaraguá!!!

ENG. ROVAIL LUIZ
http://www.rotechservice.com.br

Antonio Cavalheiro
Visitante

Como ex-colaborador da empresa de 2010 até 2013(suape), pude acompanhar alguns acontecimentos que levariam com certeza qualquer empresa a balançar – altos salários a quem sequer merecia estar nas fileiras da JARAGUÁ, pessoas sem comprometimento e só pensando no dia 10 e no dia 30, efetivo muito acima do necessário e planejamento zero.Notava-se a nítida vontade de não querer fazer. Esses foram alguns motivos porque pedi meu desligamento. É lamentável. Uma ótima empresa. Se DEUS quizer sai dessa, e por cima.

Antonio Paciifista
Visitante

Torço para que em breve saia dessa crise, pois trabalho tem, acredito mais em “ajustes administrativos necessários”, como o Sr Álvaro frisou Nóe e Absalão, afinal são milhares de famílias diretos e indiretos que são beneficiados por essa grande empresa.
Se Deus quizer será vencido essa situação

João
Visitante

oncordo plenamente com o colega Marcelo… A Jaraguá é maior que tudo isso e vai dá a volta por cima. Estamos juntos, SR Álvaro!

Tonho
Visitante

Se quando a Jaraguá estava com a torneira jorrando farta, já não existia essa tal de meritocracia, imagina agora que estamos nesta situação. Gosto muito da empresa, mas infelizmente só tem chance aqui, amigo ou parente de líderes.

Anônimo
Visitante

Ótima empresa, valor humano nota 10!
A crise vai passar. Já não trabalho mais na empresa, mas o sentimento continua.
Família Jaraguá unida!
Amém!

anônimo
Visitante

Trabalho nela já alguns anos e não tenho parentes la, é uma ótima empresa, se Deus quiser sairemos dessa. SMS comprei.

anônimo
Visitante

vou ser dirigente sindical o ano que vem só assim alguma coisa vai mudar na Jaraguá, ninguém tem chance de crescimento só os QI.

wpDiscuz