Megabanner

IMPEACHMENT É APROVADO NA CÂMARA E QUEDA DE BENDINE NA PETROBRÁS SE TORNA QUESTÃO IMINENTE

Aldemir Bendine

O Brasil vai amanhecer de uma forma diferente nesta segunda-feira (18), com uma nova realidade política, e a Petrobrás também começa um novo período. Com a aprovação do impeachment na Câmara, realizada após votação finalizada neste domingo (17), a presidente Dilma Rousseff terá de deixar o cargo caso o Senado ratifique a decisão, como é esperado, e o presidente da Petrobrás, Aldemir Bendine, que já estava na pontinha do telhado, terá que fazer as malas muito em breve. E, com sua iminente queda, os nomes para sua sucessão já estão circulando nos bastidores do novo governo, que deve assumir o poder em pouco tempo, liderado por Michel Temer.

O mais cotado até agora, pela sua proximidade com o vice-presidente, é Moreira Franco, que já governou o estado do Rio e até janeiro de 2015 ocupava a Secretaria de Aviação Civil do governo petista. Seria uma opção com um viés mais político do que técnico. Na linha de possíveis escolhas há ainda outros três nomes fortes entre os rumores de bastidores. Em ordem decrescente de força nos palpites dos correligionários de Temer estão o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, outra opção de cunho político, pelo seu protagonismo no processo do impeachment; o presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, que já atuou no setor por meio de investimentos de sua família, ligada ao grupo Ipiranga; e o presidente do IBP, Jorge Camargo, com longa trajetória no setor de óleo e gás e o nome natural do mercado.

Qualquer um que venha a ser indicado para o cargo terá desafios enormes e contará com um prazo inicial para tentar colocar as coisas em ordem, como foi feito com Bendine. Mas a pressão será ainda maior, já que a margem para erros já foi muito ultrapassada. Qualquer passo em falso será crítico. O País, a indústria e a Petrobrás, principalmente, precisam de alguém com um perfil técnico e que tenha uma grande capacidade de gestão. Alguém que tenha condição de dialogar com os políticos sem se tornar subserviente, ao mesmo tempo em que tenha preparo para comandar uma empresa gigante como a estatal e consiga se aproximar das empresas de forma ética e com extrema lisura, para reerguer esse símbolo nacional e não incorrer nos mesmos erros do passado, que levaram a companhia à situação atual.

Terá ainda um grande trabalho para se desvencilhar da marca trágica deixada por Bendine na empresa, onde seu único legado serão prejuízos históricos, demissões em massa e um desmembramento da maior companhia do País, que ficou paralisada desde a sua entrada, praticamente sem investir em novos projetos, sem dar continuidade aos que já estavam em desenvolvimento e sem horizontes de volta ao crescimento. A Petrobrás caiu no colo dele com um enorme endividamento e no meio do maior escândalo político da história do País, é verdade, mas suas ações só contribuíram para endividar ainda mais a empresa, com novos empréstimos feitos na China, e para enfraquecer continuamente a estatal, que agora ainda terá a obrigação de contratar uma parte significativa dos equipamentos e serviços futuros no país asiático, trocando empregos brasileiros por chineses.

A saída de Dilma é a saída de Bendine. Atavicamente ligados, se aproximaram com o crescimento dele no Banco do Brasil, onde deixou um legado positivo, mas sua trajetória de bancário passou muito longe do preparo necessário para gerir uma empresa de petróleo, que funciona como o motor de boa parte da indústria brasileira, mas nas suas mãos ficou em ponto morto, freando todos os carros e caminhões que vinham a reboque. Em poucas palavras, numa analogia simples, pode-se dizer que o volante de Bendine, com o pé no freio e a bandeira da venda de ativos, causou um dos maiores engarrafamentos da história da indústria de óleo e gás nacional. Tudo ficou parado. Muita gente dando ré para buscar outros caminhos, quase sempre por meio da aposta em outros países.

Ele chegou com a marca da limpeza moral e o aval de bom gestor, tentando passar a imagem de que reaproximaria o mercado investidor da Petrobrás, que havia se tornado o patinho feio das bolsas, mas só contribuiu para piorar ainda mais o reflexo da companhia no espelho. As ações da estatal só vinham subindo quando avançavam os sinais de que o impeachment seguiria em frente. Com a concretização do processo, segunda (18) certamente haverá novas altas nas bolsas.

Além da queda da dupla Dilma-Bendine, a mudança representará um novo suspiro do mercado para o retorno da credibilidade e da confiança, duas características primordiais para que o País e a indústria possam retomar o crescimento e possam dar novos passos para reativar operações e projetos paralisados por todas as partes. É fundamental que os novos gestores deem ritmo às obras e voltem a tocar as atividades paralisadas, sob risco da perda de bilhões já investidos e da garantia da ruína de muitas empresas e projetos nacionais, já extremamente combalidos no cenário atual. É uma árdua e dura tarefa para o futuro novo presidente da Petrobrás. Mas, quem quer que seja ele, não terá outra saída a não ser encarar de frente os problemas e buscar uma melhor interlocução com todos os elos da cadeia de óleo e gás. Só assim terá chances de ser bem sucedido.

11
Deixe seu comentário

avatar
11 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
SilvaAssis PereiraPAULO CESAR FROESLuiz GomesClaudio Esteves Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Claudio Esteves
Visitante
Claudio Esteves

Excelente reportagem, isso é que todos que atuam no mercado de Óleo & Gás anseiam.

Luiz Gomes
Visitante
Luiz Gomes

Talvez fosse melhor entregar o cargo ao Cunha, que tal? O Bendine é um grande gestor, experiente, técnico, apolitico. Entregar ao Moreira Franco que tem como maior de suas características o mal caratismo, serviu o governo Dilma por muito tempo e sai para conspirar contra. Pessimo administrador, raposa politica, aético, péssimo prefeito de Niteroi e um dos piores governadores que o estado do Rio já teve. Os demais nomes são farinha do mesmo saco. Digo queé melhor entregar ao Cunha, pois segue o slogan: nós rouba, mas fazemos. É assim que se quer passar o país a limpo?

PAULO CESAR FROES
Visitante
PAULO CESAR FROES

FORA DILMA, PT E SEUS KARKAMANOS PETRALHAS QUE PAREÇEM IGUAL A FRIEIRA DE PÉ QUE COME ATÉ SANGRAR, RAÇA DE DESTRUIDORES DE SONHOS DOS TRABALHADORES QUE DERAM SEU SUOR PELA PETROBRÁS E AGORA QUEREM DESCARTAR COMO SE FOSSE UMA BANA PODRE, EU TENHO NOJO DE VOCÊS PETISTAS MISERÁVEIS, FORA BENDINI FARINHA DO MESMO SACO DA DILMA, EU QUERO TE VER PRESO SUA VEZ VAI CHEGAR E QUANDO ISSO ACONTECER VOU FAZER UM CHURRASCO PRA COMEMORAR , LADRÕES, CORRUPTOS.

Assis Pereira
Visitante

RAZOES PARA TROCA DO BENDINI NO COMANDO DA PETROBRAS PELO NOVO PRESIDENTE DA REPÚBLICA NO PÓS IMPEDIMENTO DA DILMA: O Bendini não pode continuar no comando da Petrobras no pos impedimento da Dilma. Ainda que venha a mudar sua atitude na nova república, não inspira confiança nem competência para continuar a comandar a Petrobras. Se não fosse a a ação firme de membros do Conselho de Administração o Bendini teria reduzido os preços dos combustíveis a mando da Dilma em momento crítico por que passa a Estatal. O Bendini vem mantendo na Petrobras um elevado corporativismo interno, a ponto de… Read more »

Assis Pereira
Visitante

NADA MUDOU NA ESTATAL SOB COMANDO DO BENDINI – NOVO MODELO DE GOVERNANÇA E DE ORGANIZAÇÃO DA PETROBRAS FOI APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SOB INTENSO AMBIENTE CORPORATIVISTA. Considero lamentável a decisão do Conselho de Administração da Petrobras em aprovar nesta quarta-feira (30/03/2016) os nomes dos diretores, assim como os executivos da estrutura de topo da Companha, de acordo com o novo modelo de governança e de organização da Petrobras, divulgado em janeiro, em especial da Gerencia Executiva do DP&T Sistemas de Superfície. Com essa decisão, o novo modelo de governança e gestão organizacional aprovado pelo Conselho de Administração da… Read more »

Assis Pereira
Visitante

BENDINE DEMONSTRA DIFICULDADES NA DIREÇÃO DA PETROBRAS POR DESCONHECIMENTO DO “CORE BUSINESS” DA ESTATAL PEROLEIRA E TERA DIFICULDADES DE ESCLARECIMENTO AO SENADO DA DERROCADA DA PETROBRAS NO BALANÇO DE 2015. Diante de fatos tenebrosos ocorridos na Petrobras por conta do Petrolão, a atual direção da Estatal Petroleira deverá ter bastante dificuldade para explicar no Senado Federal o prejuízo de R$ 34,836 bilhões no balanço de 2015, reportando uma baixa “impairment” (ajuste) de ativos e de investimentos, principalmente em função do declínio dos preços do petróleo e incremento nas taxas de desconto, reflexo do aumento do risco Brasil pela perda do… Read more »

Assis Pereira
Visitante

PETROBRAS APRESENTA SUA NOVA ESTRUTURA LEVANDO PARA O TOPO DA CORPORAÇÃO AQUELES QUE CONVIVERAM COM O ESQUEMA CORRUPTO DESCOMUNAL E QUE NADA FIZERAM PARA CONTRAPOR AOS MALEFÍCIOS DO PETROLÃO. A Petrobras determinou que as Plataformas P-55 e P-77 fossem construídas na China, assim como as demais Plataformas que a Estatal vai construir para o Pre sal. Como fica o conteúdo Nacional apregoado pelo Lula e Dilma? A decisão foi tomada pelo Diretor Roberto Moro em ação conjunta como o Gerente Executivo da Engenharia Marco Túlio Pereira Machado, que ficou conhecido como o petroleiro que mais defende a exportação dos empregos… Read more »

Assis Pereira
Visitante

REESTRUTURAÇÃO DA PETROBRAS – REDUÇÃO OU RACIONALIZAÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO? A Petrobrás anunciou um corte drástico no plano de negócios, e pretende investir US$ 130,3 bilhões no período de 2015 a 2019, com redução de 37% em relação ao plano anterior 2014-2018, quando a previa investir US$ 220,6 bilhões. Após anunciado a reestruturação para salvar a Estatal dos malefícios do Petrolão, surgirão as primeiras repercussões do mercado referente aos cortes que a Petrobras vai ter que fazer nas contratações, implicando diretamente na redução de uma quantidade substantiva de empregados terceirizados e ate mesmo a redução dos empregados primeirizados. Em… Read more »

Assis Pereira
Visitante

ROUBALHEIRA NA CONSTRUÇÃO DA SUNTUOSA SEDE ADMINISTRATIVA DA PETROBRAS EM VITÓRIA-ES. Por volta do ano de 2005, o Governo Federal havia entrado em rota de colisão com o Governo do Rio de Janeiro comandado pelo casal Garotinho e Rosinha. Bastou o Governo do RJ implantar a lei Valentim e ameaçar a cobrança do ICMS na fase de produção, contrapondo o Regime instituído do REPETRO, para que o Diretor Renato Duque e sua turma vislumbrasse a oportunidade de diminuir a intensidade exploratória na Bacia de Campos RJ e debandar para novas fronteiras no Espírito Santo. A saída estratégica para a província… Read more »

Assis Pereira
Visitante

LEIAM O ARTIGO A SEGUIR E RESPONDAM SE O BENDINE DEVE CONTINUAR NO COMANDO DA PETROBRAS NO POS IMPEDIMENTO DE DILMA ROUSSEFF: PADRÕES CONTRATUAIS DA PETROBRAS QUE FORAM CORROMPIDOS PELO CARTEL DAS EMPREITEIRAS AINDA COMPÕEM AS DOCUMENTAÇÕES LICITATÓTRIAS NOS CEFRTAMES PROMOVIDOS PELA PETROBRAS. https://www.linkedin.com/pulse/relat%C3%B3rios-denuncias-encaminhados-ouvidoria-da-por-eng-pereira?trk=pulse_spock-articles Vamos compartilhar essas informações, considerando que a PF parece estar mais preocupada com a Politicagem Republicana e esquece de investigar de forma eficaz o terceiro escalão da Petrobras. Assistimos perplexo que os Padrões Contratuais na Petrobras, que compõe os documentos licitatórios continuam corrompidos na forma dos acordos celebrados na gestão do Pedro Barusco em conluio com… Read more »