Megabanner

ABDAN HOMENAGEIA RONALDO FABRÍCIO NO RIO E DEBATE FUTURO DA INDÚSTRIA NUCLEAR BRASILEIRA

Ronaldo Fabricio

Ronaldo Arthur Cruz Fabrício

Os principais nomes da indústria nuclear brasileira se reuniram nesta sexta-feira (29), no Rio de Janeiro, para a realização de uma homenagem ao engenheiro Ronaldo Arthur Cruz Fabrício, de 82 anos, que está deixando a vice-presidência da Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares, depois de mais de 40 anos de atividade dedicada ao setor, com ativa participação em toda a evolução do Programa Nuclear Brasileiro, tendo sido fundador e primeiro presidente da Eletronuclear.

Antonio Muller

Antonio Müller, presidente da Abdan

O presidente da ABDAN, Antonio Müller, que teve a ideia de realizar a homenagem, ressaltou a extensa contribuição de Ronaldo Fabrício ao segmento nuclear nacional e enfatizou que, além de muito querido na indústria, o engenheiro é muito respeitado e admirado, tendo sido um exemplo para muitos profissionais.

“O Ronaldo é uma pessoa muito importante para o desenvolvimento do Programa Nuclear Brasileiro. É um nome muito importante neste cenário, um profissional sério, competente, que só agregou para esse país”, afirmou Müller.

Fabrício se formou em engenharia civil em 1957, na Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, passando depois por trabalhos no Estado do Rio, até chegar à chefia do canteiro de obras de Angra 1, no início dos anos 70. Saiu em 75 para assumir a prefeitura de Niterói e em 77 foi designado para a diretoria da Nuclen. Teve uma participação importante ainda como diretor de centrais nucleares da Nuclebrás e de Furnas, com um hiato de seis anos trabalhando na área de telecomunicações, após se desligar da Nuclebrás em 1987, quando atuava na gestão da construção de Angra 2.

A Equipe ABDAN se reuniu na homenagem a Ronaldo Fabrício

A Equipe ABDAN se reuniu na homenagem a Ronaldo Fabrício

Em 1993, voltou ao segmento, após convite para assumir a diretoria de centrais nucleares de Furnas, assumindo a presidência da empresa em 1994, para em 1997 fundar e presidir a Eletronuclear, onde ficou até 2000, saindo logo após a conclusão de Angra 2. Em 2003 assumiu a vice-presidência da ABDAN, onde estava até hoje.

O engenheiro, tido como um dos principais responsáveis pelo avanço do Programa Nuclear Brasileiro, ainda atua em alguns conselhos de administração, como o da usina de Jirau, uma das maiores hidrelétricas construídas recentemente no País.

O diretor de desenvolvimento de negócios da Engie no Brasil, Gustavo Labanca, que passou a ter um contato mais frequente com Ronaldo Fabrício há alguns anos, por conta do projeto da hidrelétrica, elogia a trajetória do engenheiro: “A gente tem um respeito e uma admiração muito grande por ele. É uma pessoa que tem um notório saber no setor e também é conselheiro em Jirau. Então tenho uma profunda admiração por ele e não podia deixar de estar presente para prestar essa homenagem”.

O presidente do Instituto de Seguridade Social dos Funcionários do Setor Nuclear (Nucleos), Armindo D’Ascenção Silva, que trabalhou por 41 anos com Ronaldo Fabrício, escreveu um extenso discurso para homenagear o amigo de longa data, onde lembra os momentos mais marcantes da carreira dos dois, traçando minuciosamente os avanços da trajetória do engenheiro que fundou a Eletronuclear.

Armindo D ascencao Nucleos

Armindo D’Ascenção, presidente do Nucleos

No texto, Armindo lembra algumas citações instigantes mencionados por Fabrício em momentos decisivos, com o intuito de estimular e encorajar suas equipes, como a frase de Sêneca “O vento nunca sopra a favor de quem não sabe para onde vai”, um dos mantras utilizados internamente na Eletronuclear na época da construção de Angra 2.

“Desde que assumiu a Presidência da Eletronuclear, esta foi outra grande mensagem apregoada para todo o corpo funcional da empresa. A mensagem não ficou no papel, foi demonstrada com seu exemplo, na busca incansável, persistente e obstinada, para atingir objetivo de viabilizar a energia nuclear no Brasil”, afirma Armindo.

O presidente do Nucleos agradece ainda por toda parceria tida com Fabrício nestas décadas e deixa outro ditado para exemplificar os frutos do trabalho do engenheiro e a sua dedicação incansável à indústria nacional:

A ex-diretora de Furnas Olga Simablista e outros amigos de Ronaldo Fabricio prestigiaram o almoço.

A ex-diretora de Furnas Olga Simablista e outros amigos de Ronaldo Fabricio prestigiaram o almoço.

“Gostaria de lembrar a seguinte citação que muitas vezes (ele) mencionou: ‘O bom bocado não é para quem o faz, mas sim para quem o come’. E o Dr. Fabrício, algumas vezes, ao longo de sua vida profissional, não ficou com o bom bocado, embora o tenha feito”.

2
Deixe seu comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
william malufSergio Alexandre de Oliveira Martins Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Sergio Alexandre de Oliveira Martins
Visitante
Sergio Alexandre de Oliveira Martins

TIVEMOS O PREZER E A HONRA QUANDO DA FORMATURA DA PRIMEIRA TURMA EM PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO SOB OS AUSPÍCIOS DO ENTÃO PRESIDENTE DA ELETRONUCLEAR ENGENHEIRO RONALDO FABRÍCIO DO CONVÍVIO E SUA HOMENAGEM. OS PIONEIROS DE ANGRA, NESTE MOMENTO, DISPERSOS PELO MUNDO PRESTA JUSTA HOMENAGEM AO ÍCONE PARA NÓS DO AVANÇO EM TODOS OS SEGMENTOS, PRINCIPALMENTE NA FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS NO CONTEXTO DE SUA ADERÊNCIA AO MUNDO DA ENERIA NUCLEAR PARA FINS PACÍFICOS NO BRASIL, ENGENHEIRO RONALDO FABRÍCIO.

william maluf
Visitante
william maluf

Justa Homenagem ao Dr. Fabrício !
De fato, um pioneiro no Programa Nuclear Brasileiro.
Entrei em Furnas em agosto de 1973, sendo a minha ficha de admissão assinada por ele, o que muito me honra.
Iniciamos Angra 1, juntamente com a construção da BR-101 ! Não foi nada fácil !
Sou testemunha do seu esforço e da sua capacidade de agregar valores e obter resultados.
Esperamos, todos, que o Dr. Fabricio continue contribuindo, seja aonde for, para o progresso de nosso país.