BENTO ALBUQUERQUE REVELA EM EVENTO DA ABDAN QUE PLANO DECENAL VAI INDICAR A CONSTRUÇÃO DE NOVA USINA NUCLEAR

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

bentoUma novidade que promete movimentar a indústria brasileira de energia como um todo. O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, revelou hoje (4) que o próximo Plano Decenal de Energia (PDE 2031) indicará a construção de uma nova usina nuclear no Brasil. O anúncio foi feito nesta tarde, durante a cerimônia de entrega do Prêmio Honra ao Mérito Nuclear, organizado pela Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN). A novidade representa um marco definitivo na retomada da expansão da capacidade de geração nuclear no país.

Albuquerque disse ainda que o Ministério de Minas e Energia, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (CEPEL) já deram o pontapé inicial nos estudos complementares para localização de novos sítios nucleares no Brasil. Por fim, o ministro reforçou que o PDE 2031, que deverá ser lançado no início de 2022, também confirmará a entrada em operação de Angra 3 entre o final de 2026 e início de 2027. As declarações foram exibidas em um vídeo gravado pelo ministro antes de seu embarque para Glasgow, na Escócia, onde participa da COP26. A fala completa do ministro está disponível no final desta reportagem.

Ilha Fiscal

O evento foi realizado na Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro, em importante prédio histórico da cidade

A já tradicional cerimônia de entrega do Prêmio Honra ao Mérito Nuclear aconteceu na Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro. Ao todo, foram homenageadas cinco importantes personalidades da indústria, em menção às suas contribuições para o desenvolvimento e expansão da tecnologia nuclear no território brasileiro. O primeiro premiado de hoje foi Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, que está desde 2018 no comando da Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha – órgão que controla as atividades nucleares, científicas, tecnológicas e de inovação do braço naval das Forças Armadas.

WhatsApp Image 2021-11-04 at 11.14.52O segundo homenageado foi o assessor especial do Ministério de Minas e Energia, Ney Zanella, considerado figura importante dentro da pasta para a definição de pautas relacionadas à tecnologia nuclear no Brasil. O presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, também foi premiado, especialmente por conta dos recentes avanços da agência reguladora no sentido de melhorar as regras para o registro de radiofármacos no Brasil.

O diretor de Radioproteção e Segurança Nuclear (DRS) da CNEN, Ricardo Guterres, foi o quarto homenageado, devido ao trabalho da diretoria ao longo dos últimos três anos. Desde 2019, a diretoria publicou ao menos nove resoluções importantes que trouxeram efeitos positivos imediatos para o setor no Brasil. Por fim, a lista de premiados traz ainda o gerente geral de fabricação e supervisão da Nuclep, Cezar França.

Veja abaixo a íntegra do discurso do Ministro Bento Albuquerque no evento:

angra 3 - 3É uma satisfação fazer parte da abertura da reunião anual da ABDAN e da cerimônia da entrega da Medalha de Honra ao Mérito Nuclear. neste ano, infelizmente não poderei prestigiar pessoalmente por estar participando neste momento da COP26, em Glasgow. Gostaria de parabenizar o presidente da ABDAN, Celso Cunha, pelas iniciativas e trabalhos em prol da energia nuclear nesse ano de 2021. E também cumprimentar todos os presentes ao evento.

Estendo essa menção aos agraciados que foram escolhidos pelas suas contribuições em benefício das atividades nucleares. Meus parabéns nesse processo de retomada do Programa Nuclear Brasileiro. Devo ressaltar a importância de agraciar os nossos colegas com a medalha de honra ao mérito nuclear, em reconhecimento para o desenvolvimento desse setor no Brasil. Sou testemunha da relevante contribuição da ABDAN em promover eventos internacionais, que oferecem um programa exclusivo de capacitação para o desenvolvimento de competências de ponta em todos os pontos do mundo.

angra 2Nesse ano de 2021, avançamos muito. Foi aprovado pelo Congresso Nacional a criação da Autoridade Nacional de Segurança Nuclear (ANSN). Também foi muito importante a aprovação na Câmara dos Deputados do texto da emenda conversão de 2005 sobre a proteção física do material nuclear, que agora segue para apreovação no Senado Federal. O governo do presidente Bolsonaro emitiu o decreto 7091, que criou a Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear a Binacional S.A. (ENBPar), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, ora em fase de estruturação.

Na última Conferência da Agência Internacional de Energia Atômica, evento anual que congrega 173 Estados Membros, tivemos a honra de participar de reunião do estande do Brasil, com a presença do diretor-geral da agência, Rafael Grossi; e na reunião dos 30 anos da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares. Também por iniciativa do diretor-geral da agência, fui convidado para participar da reunião inaugural do grupo de Viena, que ocorreu na capital austríaca, em paralelo ao evento, que reúne líderes da entidade e de grandes empresas do setor nuclear mundial, com a participação de Leonam Guimarães, presidente da Eletronuclear, único brasileiro a compor o grupo.

Ilustração da Central Nuclear da Eletronuclear já com Angra 3 finalizada

Ilustração da Central Nuclear da Eletronuclear já com Angra 3 finalizada

Já pensando mais para frente, estamos trabalhando no PDE 2031, a ser apresentado no início do próximo ano, que além da conclusão de Angra 3, em 2026/2027, estará prevista a implantação de uma nova usina nuclear no Brasil. Para isso, o Ministério de Minas e Energia, a EPE e a Cepel, já deram início aos estudos complementares para localização de novos sítios nucleares no Brasil.

Por fim, gostaria de externar a minha satisfação de participar mais uma vez desse momento emblemático de premiação dos nossos colegas. Em reconhecimento à contribuição para o desenvolvimento do setor nuclear do Brasil.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of