CRESCE A TENSÃO ENTRE ESTADOS UNIDOS E IRÃ E A VENEZUELA PODE NÃO RECEBER PRÓXIMO CARREGAMENTO DE COMBUSTÍVEL

FROTA AMERICANA EM TREINAMENTO NO CARIBE

FROTA AMERICANA EM TREINAMENTO NO CARIBE

Cresce a tensão Entre os Estados Unidos e o Irã. Os Guardiães da Revolução, o Exército ideológico do Irã, emitiram nesta quinta-feira (28) um aviso às forças navais dos Estados Unidos no Golfo, depois de terem se equipado com 110 novos navios de combate. Segundo a televisão estatal, a frota dos Guardiães da Revolução adquiriu lanchas da Ashura, da Zolfaghar e submarinos da Taregh. Irã e Estados Unidos estiveram duas vezes à beira de um confronto direto nos últimos 12 meses. Um episódio foi em junho de 2019, depois que um avião não tripulado americano foi derrubado pelo Irã no Golfo, e o outro, em janeiro de 2020, após a morte do general iraniano Qassem Soleimani, que liderava as operações exteriores dos Guardiães. Ele foi morto em um ataque americano em Bagdá.

A última escalada ocorreu em meados de abril, depois que os EUA acusaram os Guardiães de atingirem seus navios no Golfo. “Avançar na defensiva é a natureza do nosso trabalho”, afirmou o chefe do Exército ideológico iraniano, general de divisão Hossein Salami. Segundo o general Salami, a Marinha dos Guardiães da Revolução recebeu instruções para aumentar a capacidade naval do Irã até que o país possa defender adequadamente “sua independência territorial e integridade, proteger seus interesses no mar e perseguir e destruir o inimigo”. As tensões entre os dois inimigos continuaram aumentando após a retirada unilateral dos Estados Unidos, em maio de 2018, do Acordo Internacional de Energia Nuclear do Irã, assinado em

EXERCÍCIOS DA FROTA IRANIANA

EXERCÍCIOS DA FROTA IRANIANA

2015, junto com o retorno de severas sanções americanas contra Teerã.

Outro ponto de tensão que pode fazer o caldo entornar é no mar do Caribe. Para lembrar, os primeiros navios iranianos carregados de combustível e equipamentos de reposição para as refinarias, passaram pela frota americana que faz exercício nos mares do Caribe. Mas isso não será garantia para que uma segunda frota cruze o caminho dos portos venezuelanos sem que sejam proibidos pela Marinha dos Estados Unidos. A remessa de combustíveis só serão suficientes para pouco mais de 30 dias.

Além da gasolina, esses navios que percorrerão os mares venezuelanos por quatro dias. Eles  também transportam materiais, equipamentos de reparos nas refinarias que podem voltar a produzir combustíveis,  produto escasso há anos.  Segundo o ditador Nicolás Maduro, há um acordo de cooperação entre Venezuela e Irã,  que  buscam seus próprios desenvolvimento. Dos cinco navios iranianos que chegaram, o Fortune carrega aproximadamente 270.000 barris de gasolina , a Floresta 275.000 barris e Faxon 268.000El Palito, 140 mil barris.  O restante carrega aditivos para produzir combustível e o equipamentos de reparos. No entanto, a gasolina iraniana vai durar pouco mais de um mês. Os americanos já disseram que podem não permitir a chegada de uma segunda remessa dentro de um mês.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of