DIRETOR DA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA DIZ QUE INDÚSTRIA DE ÓLEO E GÁS PRECISA INVESTIR US$ 600 BILHÕES PARA DIMINUIR EMISSÕES | Petronotícias





DIRETOR DA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA DIZ QUE INDÚSTRIA DE ÓLEO E GÁS PRECISA INVESTIR US$ 600 BILHÕES PARA DIMINUIR EMISSÕES

fatih-birol-aie-1 copiarA COP-28, que será realizada no final do ano, em Dubai, é uma oportunidade única para a indústria de petróleo e gás mostrar que leva a sério o combate às mudanças climáticas. O alerta é do diretor-geral da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol. Um relatório da entidade informa que as emissões das operações de petróleo e gás sozinhas representam uma parte considerável do total global. Tirar petróleo e gás do solo, processá-los e entregá-los aos consumidores é responsável por quase 15% das emissões globais relacionadas à energia – isso é mais do que todas as emissões produzidas pelos Estados Unidos ou o dobro das emissões de toda a União Europeia.

Nosso último relatório, Emissions from Oil and Gas Operations in Net Zero Transitions, mostra como a indústria de petróleo e gás pode reduzir essas emissões em 60% até 2030. Isso requer gastos iniciais de cerca de US$ 600 bilhões – muito menos do que os trilhões de dólares que a indústria acumulou no ano passado devido aos preços recordes da energia”, afirmou o diretor da AIE.

PlataformaBirol lembra que em um momento em que os efeitos das mudanças climáticas são cada vez mais sentidos em todo o mundo, os produtores de petróleo e gás precisam obter uma nova licença social para operar. Segundo ele, o mundo precisa ver mudanças nas operações das empresas petrolíferas nacionais e internacionais, com estratégias claras e responsáveis para reduzir rapidamente suas emissões.

As empresas de petróleo e gás que até agora anunciaram planos para reduzir as emissões de suas operações respondem por menos da metade da produção global. E muitas das promessas feitas são vagas ou não são apoiadas por estratégias claras para alcançá-las, especialmente para o período crucial entre agora e 2030. Metas mais ambiciosas, planos concretos e responsabilidade robusta são necessárias para alcançar reduções profundas em atividades de petróleo e gás e além”, afirmou.

A AIE diz que em meio à crise global de energia, muitos consumidores e empresas foram duramente atingidos pelo aumento dos preços da energia em 2022. Mas para a indústria de petróleo e gás, foi um ano de lucros recordes. “Agora é hora de usar isso para um benefício mais amplo. A indústria pode e deve reinvestir parte desses lucros para ajudar o mundo a atingir emissões líquidas zero e manter o objetivo de limitar as temperaturas globais a 1,5 °C à vista. A indústria de petróleo e gás hoje tem as tecnologias, recursos e experiência para reduzir significativamente as emissões de suas operações – e a um custo relativamente baixo”, declarou Birol.

plataformaO diretor da agência diz que existem várias alavancas importantes que os produtores de petróleo e gás podem usar para garantir que reduzam as emissões de suas operações em 60% até o final desta década. “A primeira é combater as emissões de metano e acabar com todas as queimas não emergentes, prática de queimar o gás produzido, que libera grandes emissões de emissões na atmosfera. O metano é um gás potente de efeito estufa e – de acordo com nosso Global Methane Tracker – as emissões permaneceram teimosamente altas em 2022. No entanto, uma ampla variedade de tecnologias e medidas conhecidas poderia reduzir essas emissões em três quartos em um espaço de tempo muito curto. E é rentável: a grande maioria dos gastos necessários pode ser paga simplesmente com a venda do gás captado”, apontou. Birol lembra ainda que as petroleiras devem eletrificar suas operações upstream e expandirem a captura, utilização e armazenamento de hidrogênio e carbono de baixas emissões.

O petróleo e o gás não vão desaparecer de nossas economias da noite para o dia – mesmo em caminhos planejados, como o Cenário Net Zero Emissions by 2050 da IEA. Isso significa que as emissões das operações de petróleo e gás precisam ser reduzidas rapidamente, ao mesmo tempo em que a demanda por combustíveis está sendo reduzida por políticas para acelerar a transição”, finalizou.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of