DIRETOR GERAL DA AGÊNCIA INTERNACIONAL ATÔMICA DESEMBARCA HOJE NA UCRÂNIA PARA A QUARTA INSPEÇÃO NA CENTRAL NUCLEAR DE ZAPORIZHZIA

zapoA decisão de bloquear o acesso do pessoal que ainda não assinou um contrato com os operadores russos da central nuclear ocupada de Zaporizhzhia, e o seu impacto na segurança, será levantado pelo Diretor-Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Mariano Grossi, que chegará na Ucrânia hoje (6). Grossi vai discutir questões de segurança nuclear no país e  fará então a sua quarta viagem através da linha da frente da guerra para chegar à central de seis reatores da Central Nuclear de Zaporizhzhia. Na quinta-feira (8), os atuais operadores da central, que está sob controlo militar russo desde o início de março de 2022, disseram que 120 trabalhadores ainda empregados pela empresa nacional de energia nuclear da Ucrânia, Energoatom, não teriam acesso ao local.

O pessoal que trabalha na usina consiste agora em ex-funcionários da Energoatom que adotaram a cidadania russa e assinaramzapo contratos de trabalho com a entidade operacional russa, bem como funcionários que foram enviados pela Federação Russa”, afirmou a AIEA. “Há no local pessoal certificado suficiente na fábrica e que todos os cargos estão totalmente preenchidos”, acrescentou a agência. 

Grossi disse que discutiria o novo desenvolvimento durante a sua visita: “É de importância crucial que a central tenha o pessoal qualificado de que necessita para a segurança e proteção nuclear. O número de pessoal já foi reduzido significativamente desde que a guerra começou há quase dois anos.” Ele disse à ONU em janeiro que, mesmo com os reatores desligados, a usina estava “operando com pessoal significativamente reduzido, que está sob uma pressão psicológica sem precedentes o que, não é sustentável”.

ZAPOA AIEA afirma que havia cerca de 11.500 funcionários trabalhando lá antes do início da guerra. Os atuais operadores da central afirmam ter 4.500 funcionários empregados e 940 candidaturas em consideração, tendo 750 pessoas sido promovidas no ano passado: “Ressaltamos que neste momento a central nuclear de Zaporizhzhia conta com o pessoal necessário para garantir a operação segura da estação.” A atual equipe de especialistas da AIEA no local visitou esta semana a sala do reator e as salas de segurança da unidade 1, duas instalações de armazenamento de combustível fresco, a instalação de armazenamento de combustível seco usado e lagos de aspersão de água, bem como observou alguns dos trabalhos de comissionamento dos novos geradores de vapor, que serão utilizados para processar resíduos líquidos. A AIEA disse que os operadores da central “ainda não confirmaram se o vapor gerado por este novo equipamento permitirá colocar todas as unidades do reator em desligamento a frio”. Um reator permanece em desligamento ‘quente’ para produzir vapor para as necessidades da usina.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of