EQUINOR ANUNCIA DECISÃO FINAL DE INVESTIMENTO DE US$ 8 BILHÕES NO CAMPO DE BACALHAU

veronica

Veronica Coelho, presidente da Equinor no Brasil

A tão aguardada decisão final de investimento (FID) do campo de Bacalhau, na Bacia de Santos, foi anunciada nesta terça-feira (1º) pela norueguesa Equinor. Ao todo, o desenvolvimento da área consistirá em 19 poços submarinos ligados ao FPSO contratado para o campo, que está sendo construído pela japoensa Modec. Este será um dos maiores navios-plataformas do Brasil, com capacidade de produção de 220 mil barris por dia e 2 milhões de barris de armazenamento. Ao todo, o investimento total no desenvolvimento de Bacalhau chegará a cerca de R$ 8 bilhões.

Este é um dia emocionante. Bacalhau é o primeiro empreendimento desenvolvido por uma operadora internacional na área do pré-sal e criará grande valor para o Brasil, para a Equinor e para os parceiros. A boa cooperação com parceiros, autoridades brasileiras e fornecedores resultou em uma decisão de investimento para o campo de Bacalhau”, disse o vice-presidente executivo de Technology, Projects & Drilling da Equinor, Arne Sigve Nylund. O executivo disse ainda que as reservas recuperáveis estimadas para a primeira fase da área são de mais de 1 bilhão de barris de petróleo.

Sigve Nylund

Arne Sigve Nylund

O FPSO de Bacalhau será operado pela Modec durante seu primeiro ano de atividades. Depois, a Equinor assumirá o controle da instalação até o final do período de licença. A petroleira norueguesa disse que fez esforços para reduzir as emissões da fase de produção, incluindo a implementação de um sistema de Turbina de Gás de Ciclo Combinado para aumentar a eficiência energética da planta.

A presidente da Equinor no Brasil, Veronica Coelho, afirmou que Bacalhau será um passo importante para a realização da ambição estratégica de fortalecer a presença da Equinor no Brasil. “É também um projeto importante para o país, pois representa investimentos significativos, efeitos em cascata na cadeia de suprimentos e geração de empregos locais”, completou.

Ilustração do futuro FPSO do campo de Bacalhau

Ilustração do futuro FPSO do campo de Bacalhau

A parte de instalações submarinas do campo será fornecida pela Subsea Integration Alliance – formada por Subsea7 e OneSubsea. Os contratos de perfuração e serviço de poço foram concedidos às empresas Baker Hughes, Halliburton e Schlumberger. A sonda que irá fazer a perfuração de poços no ativo será o navio West Saturn, da Seadrill. Por fim, a base de abastecimento terrestre será a Triunfo Logística.

A Equinor opera Bacalhau com 40% de participação, em parceria com ExxonMobil (40%), Petrogal Brasil (20%) e Pré-sal Petróleo SA (gestora dos contratos de partilha de produção).

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of