GUERRA DA UCRÂNIA ESTÁ LEVANDO PAÍSES EUROPEUS E ESTADOS UNIDOS A INVESTIREM MAIS NA GERAÇÃO NUCLEAR DE ENERGIA | Petronotícias





GUERRA DA UCRÂNIA ESTÁ LEVANDO PAÍSES EUROPEUS E ESTADOS UNIDOS A INVESTIREM MAIS NA GERAÇÃO NUCLEAR DE ENERGIA

jeniferOrlando – Por Fabiana Rocha – A guerra da Ucrânia está formando uma nova tendência tanto na Europa quanto aqui nos Estados Unidos. Um exemplo é o movimento que começou na França, com o Presidente Macron anunciando novos incentivos para a construção de novas usinas nucleares, seguido pela Bélgica, que pensava em parar suas usinas, mas já anunciou que até 2030, pelo menos, elas serão incentivadas. A Alemanha que já está sofrendo com o fornecimento do gás, depende 40% de sua economia ao combustível vindo da Rússia. A estratégia do governo Merkel, de abrir mão de suas usinas nucleares desde Fukushima, parece estar indo por água abaixo. Os preços da energia subiram vertiginosamente e o risco de fornecimento do gás russo é uma realidade que não pode ser atenuada nem nos próximos quatro anos.

Por aqui, o governo Joe Biden vai disponibilizar seis mil milhões de dólares para impedir o encerramento de centrais nucleares, defendendo a necessidade de continuarusina usa a produzir esta energia livre de carbono para o combate às alterações climáticas. O programa lançado pela administração norte-americana é destinado aos proprietários e operadores de reatores nucleares em dificuldades financeiras, segundo o Departamento de Energia dos Estados Unidos. Este é o maior investimento federal para salvar centrais nucleares em dificuldades financeiras. Os operadores de centrais nucleares em risco de fechar por razões econômicas podem solicitar financiamento. Em um comunicado, a secretária de Energia, Jennifer Granholm, disse que “as centrais nucleares dos Estados Unidos contribuem com mais da metade da nossa eletricidade livre de carbono, e o Presidente Biden está comprometido em manter essas centrais ativas para alcançar as nossas metas de energia limpa”. Uma nova rodada de incentivos será aberta a instalações economicamente em risco, num programa que será financiado pelo plano de infraestrutura de US$ 1,2 bilhão de dólares: “O governo norte-americano pretende usar todas as ferramentas disponíveis para que este país seja alimentado por energia limpa até 2035. Isso inclui priorizar a nossa frota nuclear existente para permitir a geração contínua de eletricidade sem emissões e estabilidade econômica para as comunidades que lideram este importante trabalho.”

A grande maioria dos estados acredita que a energia nuclear ajudará a substituir os combustíveis fósseis. Uma dúzia de reatores de energia nuclear comercial fechou  na última década antes de as suas licenças expirarem, em grande parte devido à concorrência do gás natural mais barato, perdas operacionais em grande escala, devido aos baixos preços da eletricidade e custos crescentes ou ao custo de grandes reparações. Isto levou a um aumento das emissões nestas regiões, pior qualidade do ar e perda de milhares de empregos bem remunerados, causando um golpe econômico nas comunidades locais, de acordo com o Departamento de Energia. Para lembrar, a maioria dessas instalações norte-americanas  foi construída entre 1970 e 1990 o que representa atualmente gastos para operar devido às infraestruturas envelhecidas. A única central nuclear em construção nos Estados Unidos está no Estado da Geórgia.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of