MAGDA CHAMBRIARD SERÁ A NOVA PRESIDENTE DA PETROBRÁS, APÓS DEMISSÃO DE JEAN PAUL PRATES

MAGDA-CHAMBRIARDUma notícia que promete mexer com o mercado de óleo e gás. O presidente Lula demitiu Jean Paul Prates da presidência da Petrobrás, após pouco mais de um ano e quatro meses à frente da estatal. Quem assumirá o comando da petroleira será Magda Chambriard, ex-diretora da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Em recente entrevista ao Petronotícias, Magda defendeu a exploração da Margem Equatorial, ressaltando que é importante destravar novas fronteiras exploratórias no país para repor as reservas de óleo e gás. A nova presidente também é defensora da política de conteúdo local e da ideia de que a Petrobrás deve ser uma empresa integrada de energia, conforme mostramos em outra entrevista publicada pelo Petronotícias.

Mestre em Engenharia Química pela COPPE/UFRJ (1989) e Engenheira Civil pela UFRJ (1979), Magda se especializou em engenharia de reservatórios e avaliação de formações e posteriormente em produção de petróleo e gás, na hoje denominada Universidade Petrobrás. Ela foi funcionária de carreira da Petrobrás, tendo ingressado na petroleira em 1980, atuando sempre na área de produção, onde acumulou conhecimentos sobre todas as áreas em produção no Brasil.

Magda foi diretora-geral da  ANP

Magda foi diretora-geral da ANP

Em 2002, foi cedida à ANP para assumir a assessoria da diretoria de Exploração e Produção, após desempenhar o papel de consultora de negócios de E&P na área de Novos Negócios da Petrobrás. Na ANP, assumiu as superintendências de exploração e definição de blocos, com foco nas rodadas de licitação. Sua gestão foi marcada pela implementação do Plano Plurianual de Geologia e Geofísica da ANP. Em 2008, assumiu a diretoria da ANP e, posteriormente, a diretoria geral em 2012. Durante seu mandato, liderou diversas iniciativas importantes, incluindo a criação de novas superintendências, os estudos técnicos para as licitações do pré-sal e as licitações tradicionais sob regime de concessão.

Pela manhã, Jean Paul Prates não participou de uma teleconferência com analistas, deixando apenas uma mensagem gravada aos investidores. Ele também não estava na coletiva de imprensa durante a tarde, já deixando indicativos de que algo ocorria nos bastidores da empresa.

pratesAntes de assumir a presidência da companhia no início de 2023, Prates já havia participado da assessoria jurídica da Petrobrás Internacional (Braspetro), no final da década de 80. Em 1991, fundou a primeira consultoria brasileira especializada em petróleo. Durante seu mandato no Senado, ele foi crítico do programa de venda de refinarias da Petrobrás, defendendo que a estatal passe a investir mais em novas frentes, a exemplo das fontes renováveis. O ex-senador também fez parte do grupo técnico do setor de Minas e Energia do governo de transição.

Enquanto esteve à frente da Petrobrás, Prates teve embates dentro do governo, especialmente com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. O desentendimento mais recente envolveu o pagamento de dividendos extraordinários da petroleira.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of