MAIS DE 1 MILHÃO DE PESSOAS AINDA ESTÃO SEM ENERGIA NO RIO GRANDE DO SUL | Petronotícias





MAIS DE 1 MILHÃO DE PESSOAS AINDA ESTÃO SEM ENERGIA NO RIO GRANDE DO SUL

ea8b4e84-54c0-409e-9d3e-22fe811fcb80 (1)O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, visitou o Rio Grande do Sul hoje (10) para coordenar os esforços para a distribuição de combustíveis e a restauração do fornecimento de energia elétrica nas áreas atingidas pelas recentes enchentes no estado. Segundo o titular da pasta, no auge da crise de energia, quase 2 milhões de pessoas chegaram a ficar sem luz. Há um retorno gradual do fornecimento e há ainda 1 milhão e 200 mil gaúchos sem energia neste momento. Nesta sexta-feira, cerca de 53 mil clientes tiveram a energia elétrica restabelecida. Em 13 cidades que estavam totalmente sem luz, o fornecimento voltou parcialmente.

Nós chegamos a 560 mil famílias, quase 2 milhões de pessoas sem luz no estado. Na medida que a água vai baixando e que vai sendo possível o acesso com segurança, a gente vem devolvendo a energia elétrica, o acesso às residências. Nós já diminuímos isso para 360 mil unidades consumidoras, mais ou menos 1 milhão e 200 mil pessoas”, afirmou o ministro.

Silveira também ressaltou que mais de 4 mil eletricistas estão atuando no Rio Grande do Sul, tendo realizado mais de 250 mil religações até o momento. Adicionalmente, outros 2.000 eletricistas devem ser mobilizados após a diminuição dos níveis de água. O ministro afirmou que a infraestrutura disponível é suficiente para responder às demandas emergenciais, e todos os grupos de geradores disponíveis, tanto dentro quanto fora do estado, estão sendo utilizados para fornecer energia a hospitais, creches e alojamentos.

Em paralelo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou hoje que enviou ofício às distribuidoras de energia, cooperativas e associações para esclarecer as medidas que podem ser adotadas no sentido de flexibilizar as regras de prestação do serviço público de distribuição de energia elétrica, para que possam focar seus esforços no reestabelecimento dos serviços essenciais.

De acordo com o Ofício, a situação enfrentada pelo estado justifica a adoção imediata pelas distribuidoras afetadas de medidas previstas na Resolução Normativa nº 1.000/2021. Outro conjunto de pedidos excepcionais, não previstos na regulamentação vigentes, serão tratados com prioridade absoluta pela Agência, sem prejuízo de novos pleitos decorrentes de novas avaliações dos impactos dos severos eventos climáticos que atingiram a região.

ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS

Para mitigar o isolamento das áreas mais densamente povoadas devido ao fechamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho, principal terminal aéreo do Rio Grande do Sul, houve um reforço no abastecimento de querosene de aviação (QAV) em diversos aeroportos do estado e de Santa Catarina. Além disso, a Base Aérea de Canoas (RS) intensificou suas operações e expandiu sua capacidade. A base, que abriga 37 aeronaves, incluindo helicópteros, desempenha um papel crucial na distribuição de alimentos e outros suprimentos essenciais para as áreas afetadas.

As entregas de gás de cozinha provenientes da Refinaria Alberto Pasqualini, situada em Canoas, Rio Grande do Sul, excederam as expectativas para o dia 09 de maio. Enquanto se esperava um volume de 1.050 toneladas do produto, a quantidade fornecida alcançou 1,2 mil toneladas, o que foi suficiente para envasar mais de 92 mil botijões para uso doméstico (13kg).

Além disso, o fornecimento de gasolina ultrapassou a cota diária, totalizando 7,6 milhões de litros. Quanto ao querosene de aviação (QAV), a entrega de 429 mil litros nesta quinta-feira foi próxima à cota diária desse combustível. Também foi iniciado o fornecimento de asfalto, um insumo vital para a reconstrução da infraestrutura rodoviária no estado. Outra notícia positiva é a liberação de veículos na ponte de saída de Canoas, em direção ao Rio Grande, uma rota crucial para o escoamento de óleo combustível.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of