PETROBRÁS ENCERRARÁ CONTRATO COM A KERUI E VAI AO MERCADO PARA CONCLUIR ENGENHARIA DA UPGN DO GASLUB

Por Davi de Souza (davi@petronoticias.com.br) –

KERUI-CAPANotícia importante que promete mexer com o mercado nesta sexta-feira (29). A Petrobrás anunciou que pretende encerrar o contrato com o consórcio Keriu-Método, que é responsável pelas obras da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) do Polo Gas Lub (antigo Comperj), em Itaboraí (RJ). Além disso, a petroleira pretende ir ao mercado para contratar uma empresa que será responsável por concluir a engenharia detalhada do empreendimento. A informação foi revelada hoje pelo diretor de desenvolvimento da produção da companhia, João Henrique Rittershaussen, durante coletiva de imprensa para detalhar os resultados da empresa no segundo semestre.

Para entender bem o assunto, é preciso fazer um rápido retrospecto. e, de novo, começando na urma da licitação da Petrobrás. Aproveitaram a proposta liderada pela empresa chinesa, mesmo abaixo da cotação que tinham, e entregaram uma obra estratégica para a empresa e para o país. A distribuição do gás do pré-sal. Os chineses não conseguiram fazer e acabou ficando mais caro do que o preço original. Mais quase 1 bilhão de reais. E não terminaram.  Como já é de conhecimento do mercado, recentemente, o consórcio Kerui-Método demitiu 2 mil pessoas que trabalhavam nas obras da UPGN. Com isso, as atividades no canteiro estão paralisadas, sendo realizadas apenas atividades de preservação dos equipamentos e das instalações. O consórcio sofreu com desequilíbrios financeiros e tinha dificuldades de pagamentos aos fornecedores. As empresas conseguiram cerca de R$ 700 milhões em aditivos ao contrato com a Petrobrás, mas nem assim conseguiu pagar todos os seus fornecedores. Em meados deste mês, a Petrobrás anunciou a paralisação das obras e ainda afirmou que o cronograma de entrada do Projeto Integrado Rota 3, que abrange o gasoduto Rota 3 e a UPGN do Polo Gaslub, seria reavaliado.

Agora, voltando aos dias atuais, vamos às declarações de hoje do diretor Rittershaussen. Ele afirmou que o gasoduto Rota 3 está concluído. Além disso, a parte de utilidades, dentro do Polo Gaslub, já está em fase de comissionamento. O único problema hoje no empreendimento está na UPGN. “Estamos em uma fase de negociação com a contratada [Kerui-Método] no intuito de conseguir um encerramento do contrato negociado. Já estamos no mercado para contratar a conclusão do detalhamento da engenharia e, em seguida, vamos tomar a decisão de como vamos concluir esse empreendimento”, explicou o executivo.

O diretor da Petrobrás acrescentou ainda que a empresa está refazendo todo o planejamento do empreendimento e ainda não existe uma data firme de conclusão das obras.  “A data de partida em 2022 não é mais possível. Estamos replanejando e vendo as ações que precisamos tomar para iniciar essa unidade o mais rápido possível”, concluiu.

Quando finalmente entrar em operação, a UPGN do Polo Gaslub será a maior do país, com capacidade de processamento de até 21 milhões de m³ por dia. O projeto visa ampliar a infraestrutura de escoamento e o processamento de gás do pré-sal da companhia, que passará de 23 milhões para 44 milhões de m³ por dia. Além de gerar energia, o gás seria utilizado em veículos e indústrias. Contribuiria também para reduzir a necessidade de importação de gás natural, assim como viabilizar o aumento da produção de óleo do pré-sal, uma vez que aumentará o processamento de gás associado ao petróleo produzido na região.

26
Deixe seu comentário

avatar
16 Comment threads
10 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
13 Comment authors
LysaneGeraldoDiogo SilvaLuizJOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcio Cunha
Visitante
Marcio Cunha

É importante frisar que os colaboradores que estiveram trabalhando no GÁSLUB, não têm nenhuma participação em relação aos atrasos do cronograma. Somos Engenheiros, Projetistas ATO, Técnicos de todas as especialidades, Supervisores, Inspetores, Encarregados, enfim, toda uma classe prejudicada pela ingerência de pessoas que não tiveram expertise de tocar adiante uma obra, no que diz respeito a contratação de fornecedores de toda espécie, administrando suas atividades. Esperamos ansiosos pelos nossos Direitos trabalhistas (recisão) que ainda não foram honrados, sequer o salário do último mês foi quitado. Muitos de nós está vivendo de ajuda e não sabemos o que fazer, quando não… Read more »

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

Esquece. Na Petrobras, o dinheiro destina-se apenas aos abastados e só tem um caminho: pagamento de dividendo para seus investidores, principalmente os estrangeiros.

Marcio Cunha
Visitante
Marcio Cunha

Senhoras e senhores não sei se os comentários terão alguma relevância sobre os envolvidos diretos que são as empresas. Mas certamente nos interessa, na medida que não recebemos nossa indenização. Eles argumentam sobre a continuidade da obra, discutem sobre o contrato, mas esquecem seletivamente que os funcionários foram demitidos e prejudicados. Certo é que perdemos nosso emprego e não recebemos a recisão. Por isso venho criticar e comentar tudo que se trata de KM e PETROBRÁS, na medida em que a contratada desmobilizou seu efetivo de empregados nos três últimos meses sem dar uma satisfação. Àqueles que conseguiram outros postos… Read more »

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

Esquece. Na Petrobras, o dinheiro destina-se apenas aos abastados e só tem um caminho: pagamento de dividendo para seus investidores, principalmente os estrangeiros.

Luci Moulin
Visitante
Luci Moulin

Eu só quero que a Kerui e a Petrobras resolvam a questão de pagamento dos funcionários, pois nao podemos ser penalizados. Todos trabalhamos com total dedicação.Saimos de mais vazias. Agora essa de uma nova licitação para o término do upgn. E a gente como é que fica? As autoridades não veem isso? são 2 mil famílias passando necessidades.
Queto uma posicao. Alguem tem q ver isso, tem q fazer alga coisa.

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

Esquece. Na Petrobras, o dinheiro na estatal destina-se apenas aos abastados e só tem um caminho: pagamento de dividendo para seus investidores, principalmente os estrangeiros.

Vagner moura
Visitante
Vagner moura

É fácil abrir uma nova licitação, agora eu quero ver arcar com os honorários dos funcionários que foram demitidos sem ver 0,01 centavo da empresa.
Uma reunião entre diretores que tem seu salário em dia e fácil, agora fica aqui fora lutando todo os dias para defender seu salário pra ver.
Deixo aqui a minha indignação, fazia parte do comissionamento da empresa e todos os dias cumpria com meu cronograma de trabalho.

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

Esquece. Na Petrobras, o dinheiro na estatal destina-se apenas aos abastados e só tem um caminho: pagamento de dividendo para seus investidores, principalmente os estrangeiros.

Ronaldo Cruz
Visitante
Ronaldo Cruz

Lendo essas notícias sobre uma nova licitação para as obras da UPGN, sentimos até dor no estômago, pois falam de 2000 demitidos como se fossem um mero número quantitativo de máquinas de trabalhar que colocaram o seu futuro e o de suas famílias nas mãos de uma Estatal de grande porte e de uma empresa de Engenharia Chinesa que se juntou a uma empresa Brasileira e que esquecem de suas responsabilidades com a sobrevida de no mínimo 2000 famílias, que por baixo totalizam pelo menos 10000 pessoas. É ultrajante sermos tratados como nada enquanto discutem o que fazer com o… Read more »

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

Esquece. Na Petrobras, o dinheiro na estatal destina-se apenas aos abastados e só tem um caminho: pagamento de dividendo para seus investidores, principalmente os estrangeiros.

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

A Petrobras, na condição de tomadora dos serviços, ou mera contratante, dependendo dos ilícitos ou danos causados a terceiros na condução de seus negócios atrelados a execução dos contratos por ela celebrados, pode ser enquadrada judicialmente e vir a responder solidaria e subsidiariamente as contratadas, sejam eles de cunho cível, criminal ou trabalhista. Mas, no Brasil, a Petrobras se julga acima da lei e da justiça, não admitindo ser responsabilizada por seus atos os atitudes, sejam eles diretos ou indiretos que por ventura venham a prejudicar terceiros. Em tribunais americano a Petrobras tem perdido todos os processos, seja por arbitragem… Read more »

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

Compulsando alguns comentários interessantes de leitores em publicações pretéritas aqui no website PETRONOTÍCIAS envolvendo a contratação da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) do Comperj e pelo seu teor, não ficamos surpresos com esses fatos tenebrosos que vem ocorrendo na Petrobras, circunscrito as contratações das famigeradas obras do Comperj (ROTA3), hoje rebatizadas como POLO GASLUB.

Ei-los:

https://petronoticias.com.br/a-chinesa-shandong-kerui-surpreende-e-apresenta-o-melhor-preco-para-a-conclusao-da-upgn-do-comperj/#comment-182353

https://petronoticias.com.br/a-chinesa-shandong-kerui-surpreende-e-apresenta-o-melhor-preco-para-a-conclusao-da-upgn-do-comperj/#comment-182501

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

Esta faltando “Gerenciamento de Riscos” nos contratos de grande porte da Petrobras para Contratos que se situam acima de um determinado valor, que deveria ser disciplinado por solidas Cláusulas Contratuais de Seguros (Bid Bond, Build Risk, Performance Bond) e por rigorosas Cláusulas Contratuais de Garantia de Cumprimento das Obrigações Contratuais e de Responsabilidades das Partes. Senão vira BAGUNÇA e a obra não TERMINA.

Lysane
Visitante
Lysane

Caro João Batista, seu raciocínio é lógicos, porém, o que se pode observar é que: ou falta competência por parte dos dirigentes da Petrobrás, ou falta interesse em concluir a obra, pois, a promessa se repeti ano a ano.

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

PETROBRAS JÁ SABIA DESSE DESFEXO, MAS CELEBROU O CONTRATO: SHANDONG KERUI CORRE RISCO DE PERDER UPGN SE A PETROBRÁS SEGUIR O QUE DEFENDE O SEU COMPLIANCE https://petronoticias.com.br/shandong-kerui-corre-risco-de-perder-upgn-se-a-petrobras-seguir-o-que-defende-o-seu-compliance/

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

AO EMPRESARIADO PRESTADORES DE SERVIÇOS NO BRASIL NA ATUALIDADE: A Petrobras esta reduzindo a pó a Indústria nacional, ai incluídas as Prestadoras de serviços, principalmente as empresas sérias que não foram contaminadas pelo Petrolão e aquelas novatas que certamente apareceriam para compor o cadastro de fornecedores da Estatal, mas estão pagando a conta do aparelhamento na Petrobras. A Petrobras aproveita as ilicitudes ocorridas na Lava Jato para montar o cadastro de seus fornecedores a seu bel prazer, da forma que melhor lhe convier e exterminar de vez com o conteúdo local. As derradeiras entrevista que concedi a Petronotícias retrata a… Read more »

JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA
Visitante
JOÃO BATISTA DE ASSIS PEREIRA

SEQUE artigo entrevista do engenheiro aposentado da Petrobras, joão batista de Assis Pereira, concedido aqui no website Petronotícias: https://petronoticias.com.br/shandong-kerui-corre-risco-de-perder-upgn-se-a-petrobras-seguir-o-que-defende-o-seu-compliance/

Diogo Silva
Visitante
Diogo Silva

Esquece. Na Petrobras, o dinheiro na estatal destina-se apenas aos abastados e só tem um caminho: pagamento de dividendo para seus investidores, principalmente os estrangeiros.