PETROBRÁS GANHA MAIS PRAZO PARA DECLARAR COMERCIALIDADE DE DESCOBERTAS EM SERGIPE-ALAGOAS

A Petrobrás ganhou um tempo extra da Agência Nacional do Petróleo (ANP) para apresentar as declarações de comercialidade das descobertas de Farfan (BM-SEAL-4), Barra (BM-SEAL-10) e Moita Bonita (BM-SEAL-11), na bacia de Sergipe-Alagoas. Agora, o novo prazo dado à companhia terá validade até 30 de dezembro deste ano.

À ANP, a Petrobrás disse que precisaria de mais tempo para elaborar o projeto de desenvolvimento da produção das descobertas na bacia. O prazo inicial estabelecido pela ANP para a apresentação da declaração da comercialidade venceu em maio. A Petrobrás também usará o tempo extra para avaliar a viabilidade da construção de gasoduto de escoamento e de um novo ponto de entrega de gás.

O projeto da Petrobrás em Sergipe-Alagoas contará com dois módulos de produção. O primeiro será composto pelas descobertas de Farfan (BM-SEAL-4), Barra (BM-SEAL-10) e Muriú (BM-SEAL-10). Já o segundo módulo será formado por Moita Bonita (BM-SEAL-11) e Poço Verde (BM-SEAL-4). Quanto ao escoamento do gás natural, a empresa deve finalizar ainda em outubro o projeto básico do gasoduto que levará o gás dos blocos offshore até ponto de entrega de gás natural. As declarações de comercialidade de Muriú e Poço Verde já haviam sido postergadas anteriormente pela agência.

“O prazo solicitado de postergação até 30 de dezembro de 2021 basicamente se refere ao ajuste do projeto com a inclusão do novo ponto de entrega do gás e à aprovação interna na Petrobrás para encaminhamento da declaração de comercialidade”, explicou o diretor substituto da ANP, José Gutman, durante reunião da diretoria colegiada do órgão regulador. Ele foi o relator do pedido de prorrogação feito pela Petrobrás.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of