PRODUÇÃO NA BACIA DE CAMPOS CAIRÁ 30% E QUEDA NO CONSUMO DE DERIVADOS SERÁ DE 50%, PREVÊ FIRJAN

Karine-BarbalhoA Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) elaborou um estudo sobre os impactos da pandemia na cadeia de valor de petróleo e gás. No documento, a entidade está prevendo uma redução de 30% da produção na Bacia de Campos, além de uma queda do consumo de derivados em 50%.

Como resultado, o estado do Rio e seus municípios deverão sofrer com menores arrecadações de royalties e impostos. No caso do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), por exemplo, a Firjan está projetando uma redução de 8% no recolhimento total desse imposto, frente à média diária de 2019.

Quanto aos royalties para o estado e municípios, o tombo deve ser ainda mais severo, chegando a R$ 12,7 milhões por dia de arrecadação. Isso representaria uma queda de 50,5% quando comparado à média de 2019, que foi de R$ 25,7 milhões diários.

Essa nova crise traz muita preocupação para o mercado, que vinha trilhando uma curva crescente de produção e de contratação de trabalhadores diretos e indiretos, como resposta a crises passadas e ao hiato de leilões que foram retomados”, alertou a  gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan, Karine Fragoso.

A executiva afirma ainda que o fortalecimento da base industrial será o caminho para o retorno da demanda e que “a retomada da economia cria emprego, gera renda e amplia a base arrecadatória, o que colabora para o estado trilhar na direção da diversidade econômica”. O link para ler o estudo completo da Firjan está disponível no site da federação.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of