STATKRAFT AMPLIA SUA PARTICIPAÇÃO E NEGÓCIOS DE ENERGIA NO PAÍS E APROVA A CONSTRUÇÃO DE DOIS PROJETOS SOLARES HÍBRIDOS NA BAHIA

fernandoA Statkraft, uma das maiores geradoras de energia renovável da Europa, acaba de aprovar internamente a construção do projeto Brasil Solar Híbrido. Totalmente desenvolvido “in-house”, o projeto marca oficialmente a chegada da empresa na geração de energia solar e traz como inovação o uso de baterias.  A companhia aprovou o início da construção de dois projetos: VSE Solar Híbrido e MdC Solar Híbrido, que se conectaram ao Complexo Eólico Ventos de Santa Eugênia e ao Morro do Cruzeiro, respectivamente. Juntos eles terão capacidade de 228 MWac. A empresa usará, de forma pioneira dentro do Grupo, a tecnologia BESS, que utiliza o mesmo ponto de conexão da eólica e solar. O Complexo Eólico Ventos de Santa Eugênia é o maior empreendimento do Grupo fora da Europa. Localizado na Bahia,  deve atingir 2.300 Gigawatt-hora (GWh), por ano, o suficiente para abastecer 1,17 milhão de residências brasileiras. Com área abrangente totalizando 489  hectares, o complexo entrou em operação comercial este ano e conta com 14 parques eólicos, totalizando 91 aerogeradores de 5,7 megawatts de potência cada, com um investimento de R$ 2,8 bilhões.

Ainda na Bahia, a empresa está construindo o complexo eólico greenfield Morro do Cruzeiro,  localizado perto dos ativos de energia eólica que a Statkraft já tem na região.hibrido O complexo será composto por dois projetos eólicos, com 14 turbinas e capacidade instalada de 79,8 MW. Dadas as excelentes condições de vento na região, o complexo vai prever gerar 386 GWh de energia renovável por ano, o suficiente para abastecer mais de 190 mil residências.

Para Fernando De Lapuerta, CEO e presidente da Statkraft, essa decisão é uma das mais importantes do ano para a empresa. “O início do projeto reflete a consolidação do nosso planejamento estratégico alinhado com a nossa missão de acelerar a transição energética. Dessa forma, vamos começar 2024 com um portfólio ainda mais eolicarobusto, integrando três tecnologias dentro de um mesmo complexo.” Com a construção marcada para o primeiro semestre do ano que vem, a previsão é que os projetos iniciem as operações em 2025.

Em abril, a empresa já havia recebido a aprovação, junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para a implantação desses projetos solares. Foram aprovadas sete outorgas do projeto Solar na Bahia de 228 MW, cujas usinas serão extensões do Complexo Brotas de Macaúbas (usina Sol de Brotas 1), Complexo Morro do Cruzeiro (usina Sol de Brotas 2) e Complexo Ventos de Santa Eugênia (usinas Sol de Brotas 3, 4, 5, 6 e 7).  Os projetos, que agora começarão a ser construídos, se enquadram na regulamentação da Aneel para usinas híbridas e vai aproveitar a complementariedade de suas centrais geradoras de energia eólica e solar.

.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of