UNICAP FECHA PARCERIA INÉDITA COM UNIVERSIDADE DA FRANÇA PARA TRAZER INOVAÇÕES EM ENGENHARIA PARA O SETORES PORTUÁRIO E OFFSHORE | Petronotícias





UNICAP FECHA PARCERIA INÉDITA COM UNIVERSIDADE DA FRANÇA PARA TRAZER INOVAÇÕES EM ENGENHARIA PARA O SETORES PORTUÁRIO E OFFSHORE

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.16.20_2e6ad0c2A Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) estabeleceu uma parceria com o Institut Catholique d’Arts et Métiers, da França, para trazer o inédito curso de Engenharia da Complexidade ao Brasil. Uma das principais características do curso é a inserção gradual dos alunos no mercado de trabalho, juntamente com atividades práticas reais para desenvolver competências necessárias. Em entrevista ao Petronotícias, o coordenador do curso, o pesquisador Fernando Artur Nogueira Silva, contou que a Unicap fechou recentemente um convênio com o Porto do Recife para o desenvolvimento de várias inovações pensadas para o setor portuário. Uma delas é uma embarcação de pequeno porte, não tripulada, movida a energia limpa, para monitorar e gerenciar em tempo real os dados de batimetria do Porto do Recife, bem como para coletar dados para exame da qualidade da água. Segundo Silva, a tecnologia traz mais eficiência na coleta de dados, além de proporcionar menores impactos ambientais e redução de custos operacionais. O professor fala ainda que o curso de Engenharia da Complexidade pode trazer inovações também para a indústria de óleo e gás. “O Curso de Engenharia da Complexidade da UNICAP pode oferecer uma abordagem inovadora e interdisciplinar para o setor de energia e gás, fornecendo aos profissionais as habilidades necessárias para compreender e enfrentar os desafios complexos enfrentados por essa indústria dinâmica”, avaliou.

Poderia explicar mais sobre a parceria entre a Unicap e o Institut Catholique d’Arts et Métiers?

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.14.40_fb88fcb9A Universidade Católica de Pernambuco tem como missão preservar, elaborar e transmitir conhecimentos para formar seres humanos capazes de exercer uma atitude construtiva e contribuir para a transformação de sua comunidade, do país e do mundo, inspirada nos valores do humanismo cristão e na tradição jesuítica com seus 80 anos de tradição no ensino, na pesquisa e na extensão. O Institut Catholique d’Arts et Métiers (ICAM) é uma escola superior de formação de engenheiros localizada na França que foi criada em 1898, igualmente de origem jesuíta. A cooperação entre as duas instituições nasce de uma parceria inédita cujo objetivo é inovar no campo de formação de engenheiro no país, com a adoção de metodologias de ensino-aprendizagem de vanguarda nos cenários nacional e internacional. O desafio planejado foi, portanto, inovar métodos e currículos, criando um novo ambiente de aprendizagem e de relação com o setor produtivo, com base na qualidade acadêmica e visando a excelência humana, conforme a pedagogia jesuíta comum às duas instituições.

Um dos elementos mais marcantes dessa cooperação foi o desenvolvimento do Curso de Engenharia da Complexidade que se constitui numa formação de nível superior em engenharia interdisciplinar, pioneira no país.

Qual será a importância desse curso para a evolução da Engenharia e da Indústria do Brasil?

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.14.40_4417ce01O curso de Engenharia da Complexidade da UNICAP é baseado na ideia de que aprender vai além de só absorver informações. Ele encoraja uma visão crítica e reflexiva, buscando transformar a forma como aprendemos. Valoriza a interligação entre diferentes áreas de conhecimento, abordagens e perspectivas. O curso dura cinco anos.

Uma das principais características do curso é a inserção gradual no mercado de trabalho através da atividade de Residência de Engenharia, na qual o aluno realiza experiências de imersão progressivas no campo profissional com durações e objetivos específicos em função do período do curso. Além disso, há a internacionalização singularizada, na qual o aluno tem a possibilidade de realizar até dois anos de sua formação no exterior.

Quais são algumas das novidades que o curso pretende introduzir?

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.15.01_865e8550A Engenharia da Complexidade é uma formação que incorpora seis Áreas de Conhecimento ao longo do processo formativo, quais sejam: Engenharia Mecânica e de Materiais, Engenharia Elétrica e Eletrônica, Energias e Ciência do Meio Ambiente, Automação & TI, Gestão e Organização Industrial e Humanidades & Línguas Estrangeiras. A Engenharia Da Complexidade é uma formação que transcende as fronteiras tradicionais das disciplinas de engenharia. Ao oferecer o Curso de Engenharia da Complexidade, a UNICAP concretiza uma formação de engenheiros interdisciplinares no país, o que é essencial para o enfrentamento dos desafios complexos da indústria moderna.

A Engenharia da Complexidade lida com problemas que demandam a intervenção de variados ramos do conhecimento técnico-científico. Reconhecer problemas complexos e desenvolver habilidades para resolvê-los, num contexto multidisciplinar, demanda estratégias de ensino-aprendizagem diferenciadas. Neste sentido, o Curso de Engenharia da Complexidade utiliza de maneira intensiva a Abordagem Baseada em Problemas, muito conhecida como PBL (Problema Based Learning) como estratégia de formação e a Abordagem Baseada em Projeto. A capacidade de lidar com problemas complexos, de maneira ágil e eficiente, é determinante para o desenvolvimento de soluções criativas e eficazes no mundo empresarial.

O Curso de Engenharia da Complexidade da UNICAP tem como característica importante uma forte aproximação com o setor produtivo que é materializada através da abordagem pedagógica intitulada Residência de Engenharia que se constitui numa estratégia de gradual inserção dos estudantes no mercado de trabalho ao longo de 12 meses de estágio supervisionados, ao longo de diversos momentos do Curso. É por meio da realização desses estágios que os estudantes vivenciam o ambiente empresarial de maneira ativa e participam do processo de solução de problemas reais do setor produtivo.

Como esse projeto pode ajudar no aumento da produtividade das atividades portuárias do Brasil?

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.16.02_a21049e8O Curso de Engenharia da Complexidade da UNICAP tem uma larga experiência na atuação da gestão de atividades portuárias. Isto tem sido feito a partir da celebração de convênios de cooperação técnica, por exemplo com o Porto do Recife, assinado em 2022. No âmbito deste convênio, várias atividades, que vão de estágios supervisionados de alunos do Curso até Projetos de Pesquisa & Inovação, têm sido desenvolvidas.

Estudos para a criação de barco movido a energia renovável para a realização de operações de batimetria, desenvolvimento de ferramentas para controle da qualidade da água e ar no entorno do Porto, desenvolvimento de sistemas para otimização do processo de carga e descarga de materiais granulares e utilização de hidrogênio verde como fonte de energia encontram-se em estado avançado de desenvolvimento.

Esta parceria com o ancoradouro tem sido muito importante para os futuros engenheiros da complexidade, justamente por aproximar a formação profissional das demandas reais do setor produtivo. Ela tem um impacto muito positivo porque possibilita ao estudante transpor a teoria que ele vive em sala de aula para prática de uma maneira muito estimulante, ao mesmo tempo em que desenvolvem soluções para problemas reais dos parceiros, que afetam a sua produtividade.

Poderia detalhar um pouco mais sobre a parceria com o Porto do Recife? Um dos projetos de P&D nesse acordo preveem o desenvolvimento de uma embarcação autônoma não tripulada para controle de qualidade de água, correto?

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.16.02_bc4e9f08Exatamente. O objetivo é o desenvolvimento do Projeto e Construção de uma embarcação de pequeno porte, não tripulada, movida a energia limpa, equipada com um sistema de posicionamento global, ecobatímetro e datalogger para monitorar e gerenciar em tempo real os dados de batimetria do Porto do Recife e coletar dados para exame da qualidade da água no entorno da área do porto – pH, condutividade, turbidez e oxigênio dissolvido.

A utilização de barcos autônomos para realizar operações de batimetria e controle de qualidade da água tem se tornado uma abordagem cada vez mais eficaz na gestão portuária. Alguns aspectos relevantes quanto à sua utilização para monitoramento da profundidade do canal de navegação em portos são: eficiência na coleta de dados, menor impacto ambiental, redução de custos operacionais, maior frequência de monitoramento, minimização de interrupções operacionais, melhoria da segurança marítima, inovação tecnológica e competitividade portuária.

O Projeto de um barco autônomo para o monitoramento batimétrico é um processo multi tecnológico complexo.  As etapas de desenvolvimento do projeto são explicitadas a seguir: Etapa 1 – Projeto e Planejamento com a definição da geometria; Etapa 2 – Seleção de Materiais – durabilidade, flutuação e peso; Etapa 3 – Simulações do comportamento do barco em situações de operação; Etapa 4 – Construção de protótipo – teste de funcionalidades; Etapa 5 – Desenvolvimento de software de automação; Etapa 6 – Testes e Validação; Etapa 7 – Ajustes e Otimização.

O Projeto está sendo desenvolvido em parceria com o Porto do Recife e teve início em meados do ano de 2022. As etapas 1 a 5 acima já se encontram concluídas e o Projeto se encontra atualmente em fase de testes, em situações reais de operação no Porto, e validação.  

E em relação ao mercado de óleo e gás? De que forma o curso pode contribuir com o setor?

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.14.40_0f123c34O Curso de Engenharia da Complexidade da UNICAP pode oferecer uma abordagem inovadora e interdisciplinar para o setor de energia e gás, fornecendo aos profissionais as habilidades necessárias para compreender e enfrentar os desafios complexos enfrentados por essa indústria dinâmica.

Ao integrar conceitos de sistemas complexos, teoria dos grafos, modelagem matemática e análise de redes, os engenheiros de complexidade podem desenvolver soluções mais eficientes e resilientes para problemas como otimização da infraestrutura, gerenciamento de riscos, planejamento energético sustentável e integração de fontes de energia renovável.

Para além disso, essa abordagem pode facilitar uma compreensão mais profunda dos padrões de demanda, fornecimento e distribuição, permitindo uma gestão mais eficaz e adaptável dos recursos de gás e energia em um ambiente cada vez mais complexo e interconectado.

O Curso de Engenharia da Complexidade da UNICAP também pode desempenhar um papel crucial no apoio aos objetivos do setor de óleo e gás durante a transição energética, fornecendo uma abordagem interdisciplinar e holística para compreender e gerenciar os sistemas complexos envolvidos na produção, distribuição e uso de energia.

Quais tecnologias para a indústria de petróleo estão envolvidas nesse projeto?

Imagem do WhatsApp de 2024-03-29 à(s) 10.14.40_de81c099O Curso de Engenharia da Complexidade da UNICAP oferece uma abordagem interdisciplinar e sistêmica que pode trazer contribuições significativas para o setor industrial de petróleo.

Ao entender e analisar os sistemas complexos envolvidos na exploração, produção, refino e distribuição de petróleo, os engenheiros da complexidade podem desenvolver soluções mais eficientes e sustentáveis. Isso inclui a aplicação de métodos avançados de modelagem e simulação para otimizar processos, prever comportamentos e identificar potenciais pontos de falha.

Além disso, a perspectiva da engenharia da complexidade permite uma melhor compreensão dos impactos ambientais e sociais associados às operações petrolíferas, promovendo práticas mais responsáveis e adaptáveis às mudanças do mercado e do ambiente regulatório. Em última análise, o curso pode capacitar profissionais a enfrentar os desafios emergentes e a promover a inovação no setor de petróleo, tornando-o mais resiliente e preparado para o futuro.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of