REGULADOR NUCLEAR FRANCÊS AUTORIZA A EDF A OPERAR A CENTRAL NUCLEAR DE TRICASTIN POR MAIS DEZ ANOS

usina françaMinistro Alexandre Silveira, veja esta notícia: a unidade 1 da usina nuclear de Tricastin, no sul da França, pode operar por mais dez anos. A decisão foi do regulador de segurança nuclear do país, a Autorité de Sûreté Nucléaire (ASN). Ele se torna o primeiro reator de energia francês licenciado para operar além de 40 anos. Isso significa mais dez anos gerando energia limpa. E olhe que a França nem urânio tem, como o Brasil. Eles precisam trazer do Níger, na África. O Brasil é um dos maiores detentores de minas de Urânio do mundo. Em fevereiro de 2021, a ASN estabeleceu as condições para a operação contínua dos reatores de 900 MWe da EDF além de 40 anos. O regulador disse considerar que as medidas previstas pela EDF aliadas às prescritas pela ASN irão garantir a segurança das unidades por mais 10 anos de funcionamento.

A EDF opera três projetos de reatores de água pressurizada, conhecidos como 900 MWe, 1300 MWe e 1450 MWe N4. Seus 32 reatores de 900 MWe em operação entraram em operação comercial entre 1977 e 1988 e incluem o mais antigo da atual frota nuclear do país. Esses reatores estão em operação nas usinas nucleares da EDF em Blayais, Bugey, Chinon, Cruas-Meysse, Dampierre, Gravelines, Saint-Laurent e Tricastin. A ASN disse que as melhorias e medidas serão aplicadas a cada reator individualmente durante sua quarta revisão periódica de segurança, programada para ocorrer até 2031. Essas revisões levarão em consideração as particularidades de cada instalação, afirmou. As medidas previstas pela EDF para cada reator serão objeto de consulta pública. A ASN adotou uma decisão que estabelece os requisitos que regem a operação continuada do Tricastin 1.

Para a revisão periódica de segurança do Tricastin 1, a EDF levou em consideração as especificidades deste reator e seu local, bem como os resultados das inspeções realizadas, em particular durante a interrupção de dez anos do reator em 2019. A ASN disse que as melhorias de segurança planejadas pela EDF como parte desta revisão foram objeto de um inquérito público de 13 de janeiro a 14 de fevereiro de 2022, que concluiu com um parecer favorável da comissão de inquérito. “A ASN considera que as conclusões da quarta revisão periódica de segurança do reator, as ações planejadas pela EDF e as tomadas em resposta à decisão da ASN sobre a fase genérica da revisão de segurança permitem atingir os objetivos definidos para esta revisão periódica de segurança”. E mais: o regulador disse em um comunicado que  “na sua decisão, a ASN regula a continuação da operação do reator 1 da central nuclear de Tricastin, por requisitos adicionais relativos ao nível de risco sísmico e às situações de ondas de calor que a licenciada inclui na demonstração de segurança”.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of