CRESCE VOLUME DE CHUVAS NO PAÍS, MAS CÂMARA DA CRISE HÍDRICA MANTÉM FLEXIBILIZAÇÃO DE VAZÃO DE HIDRÁULICAS

jupiaA Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG) decidiu que irá manter a flexibilização da vazão das usinas hidrelétricas Jupiá e Porto Primavera, no Rio Paraná, durante o próximo período úmido, entre os meses de novembro e fevereiro de 2022. Uma nova reunião da CREG será marcada para decidir sobre a operação flexibilizada para o horizonte a partir de março de 2022. Para lembrar, em junho deste ano, a CREG decidiu reduzir a vazão dessas usinas. Assim, as defluências mínimas das hidrelétricas Jupiá e Porto Primavera ficaram estabelecidas em 2.300 m³/s e 2.700 m³/s, respectivamente, desde o dia 1º de julho.

A CREG também informou que recebeu do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) as condições de atendimento e as perspectivas para os próximos meses, em horizonte até abril de 2022. Essas projeções indicam “o atendimento da carga de energia elétrica nos cenários avaliados, com a possibilidade de ser necessário o uso marginal da reserva operativa para atendimento de potência no cenário conservador apresentado, em alguns momentos do mês de outubro de 2021 e em menor escala nos meses de novembro e dezembro”. Ainda segundo a câmara de crise, essa possibilidade se reduz significativamente a partir do aumento das disponibilidades energéticas advindas das ações excepcionais em curso.

Durante a última reunião da CREG também foi apontado o aumento das chuvas no País, especialmente na região Sul. Adicionalmente, chuvas em maiores volumes são esperadas no curto prazo para as regiões Sudeste/Centro-Oeste. Ainda assim, a câmara avaliou que o cenário requer atenção, principalmente pelas atuais condições do solo, que está bastante seco. Dessa forma, existe mais dificuldade em transformar as chuvas em vazões de água nos reservatórios das hidrelétricas.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of