PRESIDENTE DO BNDES QUER ALIANÇA COM A INDÚSTRIA QUÍMICA BRASILEIRA PARA ALAVANCAR O SETOR

ABIQUIM-1O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, afirmou que nos próximos quatro anos vai trabalhar junto à Abiquim para que a indústria química volte a ocupar a quarta posição no mundo, já que é uma indústria fundamental para o desenvolvimento do país. Para isso, ele propôs uma aliança com o setor. Mercadante participou de uma reunião do Conselho Diretor da Abiquim e disse  que nos 71 anos de história do BNDES, a instituição foi uma parceira fundamental da indústria química brasileira: “Ela era a quarta do mundo e hoje é a sexta. Hoje é o terceiro déficit comercial do país e a agricultura, bem como a vida das pessoas, dependem da indústria química. Ela está em todos os setores. E com esse grande desafio que é a transição energética, a sustentabilidade, a economia circular e a descarbonização, a indústria química está no coração deste processo. Ou seja, ela será prioridade para o futuro do BNDES; essa parceria com a Abiquim e a indústria química brasileira”, declarou Mercadante.

O presidente do BNDES disse ainda que entre as inúmeras propostas que receberam de diversas entidades de setores diferentes em mesas de diálogos durante o processo de transição do novo governo, as da indústria química eram as mais articuladas para o futuro. Ele destacou ser crucial para garantir a competitividade do setor e reconheceu a necessidade de avançar em uma política industrial de Estado. Entre algumas medidas do BNDES, ele citou a redução de dividendos, extinção de IOF e flexibilização de taxas. Sobre a questão do gás natural, Mercadante sugeriu uma reunião tripartite – BNDES, Petrobrás e Abiquim – sobretudo quanto ao alto volume de reinjeção que vem sendo praticado. Ele reforçou ainda que o momento é extremamente favorável para avançar na reindustrialização, dado o atual cenário geopolítico. Abiquim e BNDES estabeleceram parcerias em temas como economia circular de químicos e hidrogênio, atualização de estudo sobre a diversificação da indústria química e amplificação da certificação Atuação Responsável.

O presidente executivo da Abiquim, André Passos Cordeiro, apresentou o cenário da indústria química e sua agenda estratégica, enfatizando sobretudo as vantagens comparativas do País e o potencial de entrega que a química tem caso o governo enderece adequadamente as questões que envolvam a sua competitividade, gerando assim emprego, maior arrecadação de impostos, riqueza e qualidade de vida para a população do Brasil. Passos lembrou que  recriação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e a retomada das alíquotas de importação de resinas termoplásticas são dois exemplos que foram grandemente celebrados pelo setor.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of