JEAN PAUL PRATES DEIXOU O PRÉDIO DA PETROBRÁS NESTA TARDE TRISTE, SENTINDO-SE HUMILHADO E MUITO MAGOADO

JeanPaulPrates-Petrobras-Seando-Comissao-Prates-1-848x477Hoje (15), no início da tarde quando saiu aplaudido pelos funcionários da Petrobrás, muito provavelmente Jean Paul Prates, demitido nesta terça-feira (14) da presidência da companhia, poderia estar na cabeça com uma das frases da música Gota D’Água do compositor Chico Buarque de Holanda: “Deixa em paz meu coração, que ele é um pote até aqui de mágoa”. Prates, demonstrava-se triste no olhar, na expressão corporal. E não era pra menos. Tinha vindo de uma viagem de sucesso, onde recebeu prêmios inéditos da organização da maior feira mundial de petróleo, a OTC de Houston, Texas, nos Estados Unidos. E nem bem chegou, não recebeu parabéns, de ninguém, mas o famoso bilhete azul. Justo no dia em que ele iria dar uma coletiva para jornalistas e explicar as razões da queda do lucro do primeiro trimestre de 2024 em relação ao último trimestre de 2023. Mas, ainda assim, deixou um lucro líquido de R$ 24,7 bilhões em apenas três meses. Quem lucra isso em três meses? Mas o mercado, como se sabe, é guloso.

As ações da petroleira na bolsa de Nova Iorque caíram 9 pontos. Mas ninguém aposta se foi pela queda no lucro, que certamente será revertido no segundo trimestre com a volta dos FPSOs que estiveram parados voltarem a produzir, ou pelo dedo do presidente Lula, interrompendo um trabalho que estava sendo feito e não ter gostado da independência do ex-senador Paul Prates. Magoado e sentindo-se humilhado, há quem acredite que ele vai reagir. Ou abrindo o livro ou escolhendo veículos de sua confiança para vazar informações importantes. E de um homem magoado, sentindo-se injustiçado, pode se esperar qualquer coisa. Está em dúvida até a sua permanência no PT.

“Agora, vou pensar. Estou triste. Só isso”, afirmou ele, na saída da sede da empresa. “Não tenho  planos. Eu sempre trabalhei. Vivo das minhas horas de trabalho. Não sei o que vou fazer. Deixamos a transição energética encaminhada com bons projetos em portfólio que estão sendo analisados agora, com energia offshore, hidrogênio, captura de carbono, coprocessamento  nas refinarias, atuação no biocombustível.  A Petrobrás não vê ninguém como concorrente ruim. E vai ser a maior compradora de óleo vegetal do país de novo e pode ser a maior compradora de etanol novamente. Vai ajudar na eólica, na solar. Acho que deixamos isso”, declarou.

Prates também disse que deixa a empresa muito “bem encaminhada” em segmentos como refino, naval e de fertilizantes. “Fizemos concursos, aumentamos a força de trabalho, cuidamos das pessoas, eliminamos aquela atmosfera ruim que estava aí, de estar vendendo, de não saber o futuro. Anunciamos o futuro da empresa, deixamos a transição energética encaminhada (…) tanto em energia offshore, energia de grande porte, hidrogênio, CCUS, CCS, coprocessamento nas refinarias”, declarou.

Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of